Portal ApoTech

Notícias Empresas

Microsoft confirma que força o uso do navegador Edge

Dessa forma, a companhia realizou uma correção para impedir essas ações.

Microsoft confirma que força o uso do navegador Edge
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Microsoft confirmou que força os usuários do Windows 11 a usarem o navegador Edge. Segundo a big tech, isso ocorre em ocasiões específicas, como a abertura de resultados da pesquisa no Menu Iniciar, mesmo que o software não seja o navegador padrão.

“Oferecemos experiências completas no Windows 10 e Windows 11. A pesquisa na barra de tarefas é um exemplo de experiência de ponta a ponta que não foi projetada para ser redirecionada”, cita o comunicado enviado ao Thurrott.com.

Em outro ponto da nota, a Microsoft revela que tomou conhecimento de ferramentas com “redirecionamentos impróprios” para navegadores de terceiros. Dessa forma, a companhia realizou uma correção para impedir essas ações.

Bloqueio do EdgeDeflector
A informação revela o motivo pelo qual o EdgeDeflector parou de funcionar nas versões para Insiders do Windows 11. O app é conhecido por permitir que todos os links do sistema operacional sejam abertos no navegador padrão escolhido pelo usuário.

Nada de Google: Widgets do Windows 11 só funcionarão com Bing
Na semana passada, o desenvolvedor Daviel Aleksandersen alegou que a big tech adicionou um novo protocolo que impede o redirecionamento de links. Com isso, as pessoas estavam sendo obrigadas a usar o Microsoft Edge.

“O navegador é provavelmente o aplicativo que mais usamos regularmente, senão o único. Mas a Microsoft deixou claro que as prioridades da empresa para o Windows não se alinham com as dos usuários”, disse Aleksandersen.

Ações anticompetitivas da Microsoft
No blog do EdgeDeflector, Aleksandersen convida os usuários a denunciarem a Microsoft para órgãos antitrustes locais. Ademais, o desenvolvedor sugere que as pessoas usem sistemas operacionais concorrentes, como o Linux, para encerrar o "monopólio" do Windows.

Vale citar que esse é mais um capítulo da batalha dos navegadores no Windows 11. A Mozilla, desenvolvedora responsável pelo Firefox, já criticou abertamente o processo que dificulta a troca do browser padrão na plataforma.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é www.tecmundo.com.br
Comentários:

Veja também